História

A Pé de vento foi fundada em fevereiro de 1983, pelo treinador e médico da equipe, o doutor em medicina ortomolecular, Henrique Vianna. Ao longo de sua existência a Pé de Vento conquistou títulos pelos quatro cantos do mundo, o que faz com que hoje seja apontada como uma das maiores equipes de fundo da América Latina e também a maior do Brasil, possuindo dois dos três melhores fundistas do país.

Dr. Henrique Vianna, é maratonista e abnegado treinador, como fundador da equipe, a história dela não pode ser contada SM se falar nele. Henrique é apaixonado por maratonas e isso o levou a fundar a equipe tem a especialidade das corridas de longa distância. Por suas mãos já passaram inúmeros atletas. Muitos ganharam fama, outros, mesmo no anonimato, guardam lembrança da dedicação com que Dr. Henrique trata todos aqueles que querem levar a profissão de atleta a sério. Considerado hoje como um dos maiores especialista do Brasil em corridas de rua, para ele o atletismo é uma das melhores ferramentas de resgate da cidadania e de fomentação da responsabilidade social. Por isso, no início de 2005, Dr. Henrique fundou a Associação Atlética Pé de Vento Petrópolis – AAPV, uma organização não-governamental de caráter desportivo para dar continuidade aos trabalhos assistenciais que vinham, até então, desenvolvendo paralelamente ao atletismo.

Desde sua fundação a equipe colheu histórias de muito sucesso, mas foi em 1986, três anos após a fundação, que surgiu o primeiro ídolo da equipe Artur Castro, que bateu diversos recordes, conquistou títulos e foi apontado na época como o melhor atleta brasileiro.

Atletas da Pé de Vento brilham ao redor do mundo

Ao longo de sua história, os atletas da equipe petropolitana não brilharam apenas no cenário nacional, mas também alcançaram vitórias expressivas em países como Japão, Estados Unidos, Inglaterra, França, África do Sul, Coréia, Alemanha, Portugal, Grécia, Itália, Argentina, Colômbia, Peru e Uruguai, entre outros. Por várias vezes, seus atletas participaram dos Jogos Pan-Americanos, de Campeonatos Mundiais e até das Olimpíadas.

A Pé de Vento já cedeu atletas para representar o Brasil, em Olimpíadas, em duas oportunidades e é uma das poucas equipes do país que teve este privilégio.

  • 1996 – Olimpíadas de Atlanta, Estados Unidos: Atleta da Pé de Vento – Luiz Antonio dos Santos.
  • 2000 – Olimpíadas de Sydney, Austrália: Atleta da Pé de Vento – Eder Moreno Fialho.

Jogos Pan Americanos

A Pé de Vento também já teve atletas representando a equipe e o Brasil em jogos Pan-Americanos

  • 1995 – Pan-Americano de Mar Del Plata, Argentina: Medalha de Bronze – Luiz Antonio dos Santos.
  • 1995 – Pan-Americano de Mar Del Plata, Argentina: Medalha de Bronze – Ronaldo da Costa
  • 1999 – Pan-Americano de Winnipeg, Canadá: Medalha de Bronze – Eder Moreno Fialho.
  • 2007 – Pan-Americano do Rio de Janeiro, Brasil: Medalha de Ouro – Franck Caldeira

Campeonatos Mundiais de Atletismo

O Campeonato Mundial de Atletismo é um evento organizado pela Federação Internacional de Atletismo Amador(IAAF), órgão máximo da modalidade, e disputado pela primeira vez em Helsinque na Finlândia, em 1983 Mundial de atletismo: 2 participações da equipe.

Em sua quinta edição em 1994 na cidade de Gotemburgo Suécia, a Pé de Vento, fazia-se presente com o competidor Luiz Antonio dos Santos, que entraria para história ao conquistar a medalha de bronze para o Brasil, fruto de um trabalho baseado em pesquisa e muito profissionalismo.

Em 1997 outra vez a Pé de Vento, lá estava, desta vez com dois atletas Eder Moreno Fialho e Luiz Antonio dos Santo, e o mestre Dr. Henrique Viana desta vez como técnico da Confederação Brasileira de Atletismo, conquistando a medalha de Bronze para o Brasil por equipe.

Campeonatos Mundiais de Meia Maratona

Nesta competição a Pé de Vento, já representou o Brasil em cinco campeonatos mundiais, em 1994 Ronaldo da Costa com a marca de 1:00´54″, ele ganhou o bronze na Meia-maratona de Oslo, na Noruega, estabelecendo novo recorde Sul Americano nesta prova.

No ano de 2003 em outro atleta nosso Willian Amorim esteve em Lisboa Portugal representando o Brasil.

Em 2004 foi a fez de Franck Caldeira na Índia na cidade de Nova Delhi junto com o treinador Dr. Henrique Viana como técnico da seleção brasileira.

No ano de 2005 no Campeonto Mundial de Meia Maratona desta vez em Edmonton Canadá a PÉ DE VENTO lá estava representado pelo competidor José Eloy.

Campeonatos Mundiais de Cross Country

O primeiro evento internacional oficializado teve lugar em Hamilton, na Escócia. Foi uma competição que reuniu corredores das nações britânicas (Escócia, Inglaterra, País de Gales e Irlanda). Em 1907, uma equipe francesa entrou no Campeonato, neste ano disputado em Glasgow, novamente na Escócia Cross Country 5 participações da Equipe.

Em 1988, na cidade de Estavanjer, Noruega a Pé de Vento manda um atleta pela primeira vez para essa modalidade. O nosso primeiro atleta de destaque no atletismo: Artur Castro.

Em 1992 na cidade de Boston nos Estados Unidos foi a vez atleta e técnico integrar a Seleção Brasileira de Atletismo com a presença de Clair Wathier e o técnico Henrique Viana.

Na França em Aix Lês Bain, no ano de 1994, outro atleta de nossa equipe integrou o time do Brasil.

Em 2006, no Japão na cidade de Fukuoka, a Pé de Vento, classificou dois atletas José Eloy e Reginaldo Jr. Entre os atletas estava o treinador da equipe.

Em 2008 a Pé de Vento, volta ser destaque tanto no Copa Brasil de Cross Country, Sul-Americano e no Campeonato Mundial. A equipe é Campeã brasileira da competição nacional, e dos 23 atletas convocados 13 são da Pé de Vento, mesmo acontecendo com a convocação para o Campeonato Mundial de Cross Country em Edimburgo Escócia, a PÉ DE VENTO colocou sete atletas na competição.

Campeonato Ibero Americano

Pé de Vento, com apenas uma participação nesta modalidade onde esteve presente o técnico e o atleta Henrique Viana e Franck Caldeira.

Franck Caldeira, considerado uma das maiores revelações do atletismo brasileiro nos últimos anos, No dia 3 de setembro, ele conquistou o título de campeão Ibero-americano, na meia-maratona realizada em Maracaibo, na Venezuela. Com a vitória, o brasileiro tornou-se um dos dois únicos atletas não-quenianos a vencer a competição em 13 anos de disputas.